NEWS

SAÚDE ORAL NA GRAVIDEZ ! MITOS E REALIDADE!

Clínica Dr. Hugo Madeira | www.clinicaimplantologiaavancada.com

MITO OU REALIDADE ?

Durante a gestação ocorrem várias mudanças físicas e fisiológicas, desta forma é importante que a grávida tenha ainda mais atenção à sua saúde oral.
Ainda nos dias de hoje este tema é polémico e cheio de mitos que necessita de ser desmistificado.

1.”Durante a gravidez os meus dentes enfraqueceram devido à perda de cálcio para o bébé”
MITO. Esta é uma frase dita com bastante frequência pelas mães e grávidas, no entanto, isto realmente não acontece.
O bébé não adquire o cálcio através dos dentes da mãe. Durante a gravidez ocorrem alterações nos hábitos alimentares que podem aumentar o seu risco de desenvolvimento de cáries ou doenças gengivais: refeições com maior regularidade particularmente ricas em hidratos de carbono e açúcares, presença de saliva mais ácida devido a náuseas e vómitos e principalmente, a maior formação de placa bacteriana sobre os dentes.
De uma forma quase inconsciente a grávida não realiza a sua higiene oral da forma adequada, visto que a escova induz o vómito provocando uma maior acumulação da placa sobre os dentes.

2. “Será normal sangrar das gengivas agora que estou grávida?”
REALIDADE. É frequente que haja maior tendência para inflamação ou hemorragia gengival durante a gravidez devido a alterações hormonais que ocorrem durante este período.
Para previnir ou reduzir este facto deve ser feita a remoção do tártaro e placa bacteriana na consulta com o médico dentista e fazer uma boa higiene oral em casa.

3. “Estando grávida não posso realizar tratamentos dentários”
MITO. No caso de ser necessário que o Médico Dentista intervenha em qualquer período da gravidez, há tratamentos e medicamentos que se encontram devidamente comprovados como sendo seguros.
Existem inclusivamente determinados tipos de anestesia oral que são seguras quer para a mãe, quer para o feto, e que podem ser utilizadas sem risco para ambos. Esta em nada irá afectar a saúde do bebé. Uma infecção oral é mais prejudicial para o bebé do que o tratamento dentário em si.
Porém, o ideal (desde que não exista nenhuma urgência), é que o atendimento ocorra durante o segundo trimestre da gravidez, em consultas de curta duração, preferencialmente no período da manhã.

4. “Não devo tomar flúor e/ou bochechar com algum antisséptico oral”
REALIDADE. Actualmente o uso de flúor em comprimidos não está recomendado para grávidas. Estudos demonstraram que o flúor que passa da mãe para o bebé é mínimo e não tem influência na dentição da criança.
No entanto, este deverá ser utilizado em pastas dentífricas fluoretadas de modo a prevenir o aparecimento de cáries dentárias na grávida.
O uso de antissépticos orais deverá ser evitado. Muitos destes possuem álcool na sua composição o que pode provocar secura da mucosa oral.

Assim, a grávida deve ter cuidados redobrados na sua higiene oral e, preferencialmente, deve consultar o seu médico dentista, ainda antes de engravidar, para resolver qualquer problema de saúde oral.

Joana Martins e Rita Nascimento

CLÍNICA DR HUGO MADEIRA
Av. Casal Ribeiro, 50 1ºdto | Lisboa
Telefone : 21 362 6225
www.clinicaimplantologiaavancada.com

Leave a comment

Your email address will not be published.


*