NEWS

CACHAÇA FRIENDS 2018

Quando recebi o convite da Cachaça 51 para ser sua embaixadora, este ano, não hesitei um segundo. Vieram-me logo à mente as memórias dos Verões bem passados entre amigos, dos sunsets a namorar e a dançar, das confidências entre amigas, enfim… De uma série de momentos  maravilhosos que se passaram ao sabor de uma caipirinha.

Durante o Lisbon Show, participei num workshop super divertido em conjunto com os outros dois embaixadores, o João Montez e a Paula Bollinger, com os quais faço parte do conceito “Cachaça Friends”, e fiquei a saber imensas coisas sobre a Cachaça 51. Sim, vou já partilhar convosco…

Se há coisa que aprendi nos meus anos de party girl foi a escolher bebidas de qualidade para não ter o ”mal-estar“ indesejado de um after party. E, sem dúvida, a Cachaça 51 prima pelos seu produtos de extrema qualidade.

Sabiam que existem três produtos diferentes dentro da Cachaça 51 e que ela vai muito além das caipirinhas?! (Já falarei mais à frente).

Ah pois é! E é isso que vou fazer ao longo do ano: partilhar convosco dicas e sugestões incríveis de diferentes cocktails eeeeeeeeeee sugerir-lhes muitos passatempos para poderem fazer as vossas experiências e partilharem comigo também.

A outra novidade é que a Cachaça 51 vai estar em alguns dos eventos mais cool de Portugal, como o Rock in Rio, o Sunset’s da Fox, a Volta a Portugal e muitos outros. Claro que eu vou lá estar para partilhar convosco tudinho, através das minhas redes sociais.

O que é certo é que a Cachaça 51 já adquiriu uma notoriedade tal, que já é exportada para 50 países (5% sua produção), incluindo Portugal, claro. Esta marca chegou em 1995 ao nosso país e já é a marca líder no seu segmento, com 60% da quota de mercado.

O curioso é que há várias versões sobre a origem do nome Cachaça 51, todas justificando a lógica do número (51). A primeira teoria defende que em 1951, somente o lote 51 conseguiu obter a qualidade procurada, dando assim origem à marca. Outra teoria diz que mal o fundador da bebida a provou, soube que esta seria bem-sucedida, apesar dos estudos mostrarem que teria um sucesso bem menor que o esperado (51%). Sem querer saber, nomeou a sua cachaça com o número que representava o sucesso conquistado.

Mas não vale a pena falar-vos da Cachaça 51, sem mencionar a caipirinha. Afinal, foi por intermédio deste cocktail que os portugueses conheceram a marca, sempre a “rodar” pelos mais badaladas festas,  bares e discotecas do país. Mas, como vos tinha dito, o seu sucesso vai muito além da caipirinha, apesar de continuar a ser a mais tradicional e popular bebida feita com cachaça. A criatividade dos bartenders deu origem a outras bebidas surpreendentes e sofisticadas. Surgiram assim mais variações da marca. É o caso da 51 Gold, em Portugal desde 2010, perfeita para ser degustada como digestivo ou aperitivo. Já a Black 51, no nosso país desde 2011, é uma bebida única e inovadora, de cor negra, concebida, em especial, para o público jovem, moderno e independente. Fica óptima num copo alto com muito gelo, por exemplo.

Tal como acontece com a Cachaça 51, existem muitas versões sobre a origem da cachaça. Pois é, e todas vão dar ao período da colonização portuguesa, no Brasil, porque fomos nós que lhes levámos as técnicas de plantio e de destilação. Como vêem, esta bebida já aquece o coração dos brasileiros há mais de 500 anos, sendo até considerada a bebida mais brasileira do nosso país irmão. De tal forma que em 1996 o Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, declarou a cachaça como um “produto tipicamente Brasileiro”. Em 2012, foi decretada Património Histórico e Cultural do Brasil. Hoje, a cachaça é a terceira bebida destilada mais consumida no mundo. À frente só mesmo a vodca e o soju (bebida coreana de arroz).

Como vêem, têm muito por onde “explorar” a Cachaça 51. Quanto a novidades sobre esta marca e a parceria que acabei de travar com ela, “me aguardem”… Como dizem os brasileiros.

 

Bemyguest

Bárbara Taborda